Dei pro meu amigo casado do trabalho

0 votes

Oi, meu nome é Jeane*, tenho 20 anos, tenho 1,68 de altura, morena clara, seios médios, coxas grossas e bumbum médio. Namoro um cara desde os 18 anos e foi com ele que perdi minha virgindade, desde então nunca me envolvi com mais ninguém.

Quando completei 19 anos, ele me pediu em casamento. Ficamos noivos, e ele conseguiu um emprego em outra cidade. Logo que ele se mudou, também consegui um emprego num supermercado, mas na cidade em que eu já morava. Então a partir disso, mantemos nosso relacionamento a distância.

Conforme o tempo foi passando, o relacionamento foi ficando mais difícil, algumas brigas, e o fogo diminui.

Fiz vários amigos no trabalho, mas me aproximei mais de um moço em especial, Cristiano*, 25 anos, mais ou menos 1,75 de altura, um corpo magro mas com músculos, muito simpático, trabalhava na área de compras. Ele havia casado recentemente e se tornado pai, tudo a pouco tempo.

Todos os dias, conversávamos sobre nossa vida, no nosso intervalo as conversas fluíam naturalmente. Numa tarde, Cristiano chegou visivelmente cansado, perguntei o que havia acontecido. Ele falou que as coisas na casa não estavam fáceis, sua mulher estava muito estressada e com o nascimento do filho eles não transavam mais. Falei a ele que entendia, que eu também tinha um relacionamento a distância e sabia que a falta do sexo desgastava um pouco a relação.

Os dias foram passando e percebi que o Cristiano estava tentando se aproximar mais de mim, no nosso intervalo ele sempre sentava ao meu lado, conversava mais, e ficamos muito amigos. Ele pediu meu número para conversarmos sobre alguns produtos.

Passou algumas semanas e recebi um boa noite, respondi educadamente, e a resposta foi a seguinte:
“Então, sei que nunca disse nada a você, mas você é linda, você me chama atenção, eu desejo você. Não precisa responder nada agora, mas pense nisso”

Eu fiquei muito pensativa, Cristiano era lindo, e fiquei empolgada com a situação, mas ele era casado e eu estava noiva, então decidi simplesmente ignorar.

Transando com o amigo do trabalho

No outro dia, quando cheguei no trabalho, fui buscar alguns produtos no estoque, até que sinto uma mão na minha cintura, Cristiano me puxou e me encostou na parede:

– Você não me respondeu ontem, eu estava falando sério, eu te quero – disse apertando seu corpo contra o meu

– Cristiano, a gente não pode, você tem sua mulher, seu filho, você me chama a atenção mas não podemos – eu disse com a calcinha completamente encharcada, eu desejava Cristiano e queria muito estar com ele.

Cristiano me beijou, um beijo quente, que me tirou o fôlego. Então falei pra ele que se iríamos nos encontrar teria que ser fora do trabalho. Ele concordou, marcamos um encontro pelo whatsapp, sairíamos no final de semana, e manteríamos o profissionalismo no serviço. Tudo combinado.

No fim de semana, Cristiano me buscou em casa, eu estava vestindo uma lingerie amarela que não usava a muito tempo, mini saia de couro, uma blusinha preta super colada, um casaco e botas de salto. Ele estava com o carro do seu irmão pra não gerar suspeitas, perguntei onde iríamos, ele me disse que o irmão estava fora de casa e usaríamos a casa dele pra ninguém suspeitar. A casa do irmão dele era muito bonita, ficava num condomínio, um pouco afastado.

Quando chegamos, ele me mostrou a casa, segurou minha mão e me conduziu para subir as escadas, chegamos no quarto e ele tirou meu casaco.

– Jeane, você não tem noção do quanto eu queria isso, você é muito gostosa, eu desejo você todos os dias.

– Eu também te desejo, nossa amizade sempre teve algo a mais, eu quero sentir você.

Cristiano começou me beijar, e foi subindo suas mãos por minhas pernas, até alcançar minhas coxas, ele me deitou na cama e por cima de mim foi beijando, meu pescoço. Ele tirou a roupa e ficou de cueca, seu pau estava super duro dentro da cueca, ele foi tirando minha roupa e me deixou apenas com minhas botas.

Ele me deitou de bruços na cama e tirou sua cueca, começou a passar suas mãos na minha bunda, massageando, e apertando, dava tapas e isso me deixava excitada. Então ele subiu e começou passar seu pau no meio da minha bunda, ele movimentava para cima e para baixo, até que senti os dedos dele entrando na minha Buceta, gemi alto, e ele começou me masturbar, ele elogiava meu corpo e me dizia que eu era uma ninfeta gostosa, eu estava ficando doida, ele então começou me chupar e penetrar os dedos na minha buceta, gozei com jatos pela primeira vez na cara dele, ele ria e se deliciava com meu gozo na sua cara.

Era minha vez de dar prazer a ele, então comecei acariciando seu pau devagar, e lambendo suas bolas, ele gemia baixinho, e me chamava de putinha, comecei lamber a cabeça do pau e acariciar as bolas, até que engoli aquele pau inteiro, ele gemia muito como se não fosse chupado a muito tempo, empurrava minha cabeça, e não demorou muito pra gozar na minha boca, engoli toda aquela porra.

Me deitei ao lado dele, e ele começou acariciar meus seios, já estava excitado de novo, aquele homem estava com desejo de sexo, subiu em cima de mim, e não me disse nada, apenas socou com tudo o pau na minha xota, gritei de dor e prazer, ele perguntava se estava doendo e dizia que eu ia ter que aguentar, porque eu escolhi dar a buceta pra ele, eu gemia alto e rebolava no pau dele, ele massageava meu clítoris e metia o pau com força sem parar, ele tinha muita energia e metia falando que nunca tinha comido uma bucetinha tão apertada de uma novinha e dizia que eu era mil vezes mais gostosa que a mulher dele, eu ficava muito excitada em ser a putinha dele.

Ele me virou e me colocou de quatro, disse que ia me fazer gozar, e implorar pela rola dele outras vezes, ele socava o pau com muito força na minha buceta e puxava meu cabelo, batia muito forte na minha bunda, comecei a tremer de prazer e gozei jatos novamente com o pau dele na minha buceta, gozei em jatos pela segunda vez na vida na mesma noite, eu gemia muito porque ele ainda metia na minha buceta, eu gritava e gemia como uma louca dizendo que eu era a puta dele, ele anunciou o gozo e gozou dentro da minha buceta.

Nós dois respirávamos ofegantes, e o corpo dele caiu em cima do meu, ele continuou com o pau na minha buceta, até que se levantou e escorria a porra dele da minha buceta.

Tomei um banho, enquanto ele trocava os lençóis, depois me vesti e ele me deixou em casa. Aquela noite ficou marcada em mim.

Depois disso, nossa relação no trabalho tornou-se um pouco diferente, ele até me comeu no banheiro, mas isso eu conto na próxima. Espero que gostem.

*Nomes fictícios para preservar a identidade dos envolvidos.

Contos de Sexo Relacionados

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!