No banheiro da empresa comendo a coleguinha safada

0 votes

Adoro ler contos eróticos, então tomei de coragem de contar o que aconteceu comigo no trabalho. Tenho 50 anos atualmente, na época do acontecido estava com 38, eu trabalhava numa grande rede de comércio de calçados, na área administrativa, no prédio onde eu trabalhava havia mais ou menos umas 80 pessoas, a grande maioria mulheres.

Pois então… dentre essas funcionárias estava uma bela morena, com seios pequenos e um belíssimo par de coxas e uma bunda apetitosa. Começamos a nos aproximar numa festa de confraternização de final de ano, depois da janta e das bebidas começamos a dançar, como todos se conheciam, todo mundo dançava com todo mundo, uma brincadeira muito legal e sem segundas intenções. Foi quando eu estava dançando com uma outra colega que reparei que a ela não tirava os olhos de mim. Cheguei perto dela e ela me devorou com um olhar pra lá de malicioso, mas achei que era coisa da minha cabeça e não dei bola.

Passado as festas de final de ano e as férias, não sei se por coincidência ou não, passei a cruzar com a ela nos corredores da empresa com muito mais frequência, e cada vez que nos encontrávamos ela jogava uma piadinha. Certa vez eu estava na copiadora e estava vestindo uma camisa verde, quando ela apareceu e falou bem pertinho do meu ouvido:

– Se verde já é gostoso, imagina quando estiver maduro.

Aquilo atiçou meus desejos, era o sinal verde que eu esperava e partir dali, também comecei a retribuir, com cantadas mais insinuantes, agora, já com segundas intenções.

Aos poucos fui me aproximando mais e comecei a frequentar a sala dela, mas tinha que tomar cuidado para não dar bandeira, pois meu serviço não tinha nada a ver com o dela e também porque seu companheiro de sala era o gerente da área, muito embora ele passasse a maior parte do tempo em viagem, eu não queria despertar qualquer desconfiança dos outros, até porque para chegar a sala onde ela trabalhava, que era um anexo do prédio e tinha que atravessar o pátio para ir até lá, então todo o cuidado era pouco, mas como eu já estava com vontade de passar a vara naquela morena, deixei na minha gaveta um preservativo, para não perder a chance de pega-la.

Eu estava tão enlouquecido para comer aquela xota que estava planejando em dar uma carona para ela e comer ela no carro mesmo.

Certo dia ela me ligou, pediu para que fosse até a sala dela, perguntei pelo gerente dela e ela me disse que estava viajando e só retornaria na semana seguinte, na hora eu pensei “é hoje.” Botei a camisinha no bolso e de pronto me desloquei até lá. Ao chegar ela estava me esperando na cozinha, a sala dela era tão grande que tinha uma cozinha e um banheiro, tipo “closet.” Fui até a cozinha e ela me esperava com pedaços de chocolate que estava vendendo a pedido de uma amiga. Maliciosamente ela perguntou se eu queria provar, na hora eu falei,” quero comer tudo.”

Ela botou um pedaço de chocolate na boca e mandou eu provar e eu não perdi tempo, peguei o chocolate e aqueles lábios deliciosos, num beijo enlouquecedor que deixou o meu pau a ponto de furar a calça, comecei a passara mão na bunda dela e ela se contorcendo de tesão, peguei ela e joguei em cima da pia de inox, abri suas pernas e comecei a roçar meu pau na Buceta dela, embora nós dois estivéssemos de calça, eu comecei um vai e vem que deixou ela pirada, em seguida ela segura meu cacete e começa amassar ele com a mão e diz:

– A gente não pode transar aqui, pode chegar alguém. Vem pro banheiro.

Comendo a coleguinha no banheiro da empresa

Ao entrarmos no banheiro, coloquei ela na parede, baixei sua blusa e comecei a chupar aqueles peitos deliciosos, ao mesmo tempo que massageava a sua buceta por cima da calça, dava para sentir o calor daquela xana enquanto ela segurava meu pau, que naquele momento estava por explodir a calça e sair para que ela pudesse chupa-lo, mas não demorou muito ela libertou minha vara, se ajoelhou e passou a chupar como se fosse a última chupada da vida dela.

Eu estava quase gozando com aquela boca quente envolvendo meu pau, para não gozar, tirei meu pau da sua boca e virei-a de costas para mim, pequei a camisinha e ensaquei o boneco, ela olhou e com um sorriso maroto comentou: “Tú pensou em tudo mesmo, né?”

Na mesma hora tentei penetrar o cuzinho dela, mas ela refugou, “aí não, só na buceta.” Sem problemas, comecei a comer aquela buceta quente e apertada, confesso que nunca tinha comido uma buceta tão apertada.

Ao mesmo tempo que meu pau fazia a festa dentro daquela buceta molhadinha, eu massageava seus peitos e beijava seu pescoço, ela arfava de prazer e seguidamente sussurrava “ Meu Deus, que loucura”

Resolvemos mudar de possível, baixei a tampa do vaso sanitário sentei ali e com meu pau pontado para o teto ela deu ré sentou aquele delicioso bundão no meu colo, fazendo com que meu pau desaparecesse dentro dela e ali ela ficou cavalgando freneticamente. Quando eu já não aguentava mais, a coloquei de bruços sobre o balcão da pia e comecei a estoca-la com força, aí foi demais, não aguentamos e gozamos juntos, nos beijando, para que o beijo abafasse os nossos gemidos. Eu ainda estava com o pau dentro da xota dela quando ouvimos barulho dentro da sala… e agora… se nos pegassem ali estaríamos demitidos,… o que fazer??

Bom… ela se recompôs rápido e foi ver do que se tratava, enquanto eu fiquei escondido no banheiro, aguardando o sinal verde para poder sair dali sem ser visto, fiquei quase uns cinco minutos ali, até que ela me avisou que eu podia ir embora.

Depois desta loucura ainda saímos algumas vezes e mais tarde acabei saindo da empresa e nunca mais a vi.
Esta empresa me rendeu outras Aventuras sexuais maravilhosas, que eu conto em outra oportunidade.


Contos de Sexo Relacionados

  • Contos Eróticos 1 ano atrás

    Punheta durante a aula

    Esse conto aconteceu quando eu estava na sala de aula, era um garoto novo mas muito safado já. Tinha uma garota na sala, que era um tesão só, magra, bundinha empinada, peitos redondinhos. Sempre rolou um boato ...

    LER CONTO
  • Heterossexual 4 meses atrás

    Transando com amigo

    Sempre fui afim de contar meus contos aqui.  Sou casado, tenho 38 anos, 1,77 de altura e tenho cabelo grisalho. Sempre fui afim da morena mais gostosa do bairro, uma morena de 38 anos e um corpo super sensual, peitos...

    LER CONTO
  • Fetiche 1 ano atrás

    Dominei a safada e ela adorou

    A Universitária se graduando nos cinquenta tons. Me chamo Marcel (nome fictício) e ela se chama Vanessa (nome fictício). Depois de algumas matadas de aulas para transar com Vanessa, percebi que que nos dávamos...

    LER CONTO
  • Fetiche 2 anos atrás

    Fodendo loucamente com o uber

    Mais um dia de trabalho, desde que começou a quarentena acabei ficando só com o serviço de motorista de aplicativo e que mesmo assim, com movimento menor do que o normal, muito mais problemas do que soluções. Mas...

    LER CONTO
  • Contos Eróticos 1 ano atrás

    Putaria a 4

    Sou casada, estatura média, seios e bunda grande, gordinha. Meu marido tem pau médio, mas bem gostoso. Sempre falávamos em fazer muitas putarias mas eu não tinha coragem.. até que fui amadurecendo a ideia e...

    LER CONTO

Deixe seu comentário