O dia em que minha namorada e eu transamos o dia todo

1 vote

Tenho 22 anos, sou moreno, 1,83 de altura, corpo meio atlético. E hoje eu vou contar a vez em que eu, e minha ex trepou bem gostoso o dia inteiro com a casa vazia.

Bom, isso aconteceu recentemente quando meus pais saíram de férias e pediram para que eu cuidasse da casa (já que eu ficaria lá).

Não perdi tempo e chamei minha mina pra passar o dia comigo.

Ela conta que antes de mim não tinha ficado com ninguém, nem beijado ela tinha antes nos conhecermos, já eu tinha tido minhas primeiras vezes.

Ela me amava muito, e eu também amava ela, e ela dava sinais de que queria algo mais do que trocar só beijo comigo.

Então não perdi a chance chamei ela pra vir aqui na minha casa e deixei tudo no esquema pra ela ficar bem a vontade. Limpei a casa, o quarto, o banheiro, tomei um banho caprichado e fiquei cheiroso, coloquei uma camisa e uma bermuda pequena que eu tenho (sem vestir cueca mesmo)

Dai quando foi 15h, ela chegou, toda produzida, usando um shortinho jeans e uma blusinha branca e muito cheirosa.

Então, a gente ficou na sala vendo um filme e comendo algumas coisas. Quando eu comecei a provocar ela.

Eu e minha namorada gozando o dia todo

Dando um cafuné, com um beijo bem quente na boca dela, passando minha boca no pescoço dela, junto de um cheiro.

E ela respondeu me agarrando todo, e passando a mão em mim. Naquele momento, confesso que eu já tava bem duro.

Abri as pernas dela, sem tirar a roupa, e comecei a esfregar meu volume na parte da xota dela. Eu lembro que fiquei agarrando firme aquelas coxas enquanto beijava e me esfregava naquele corpo gostoso.

Daí eu falei se ela queria ir para o quarto, era nítido que elas estava nervosa, os olhos dela se arregalou e ela ficou respirando forte.

Peguei a mão dela e subi pro quarto. Quando chegamos, começamos a se beijar mais quente ainda, então tirei minha camisa, e comecei a esfregar a mão dela no meu peitoral e chupar os lábios dela bem de vagar.

Então, tirei short e o sutiã dela e deixei só de blusinha e calcinha. Coloquei ela no meu colo, sentada de costas pra mim, e arreganhei bem as pernas dela e comecei a passar os dedos bem leve naquela calcinha/buceta deliciosa, enquanto dava umas chupadas no pescoço e mordiscadas na na orelha dela.

E comecei a sussurrar no ouvido “como você tá gostosa hoje meu amor. Quero te ver peladinha encima de mim sentando bem gostoso no meu pau”

Ela suspirava muito, e mal conseguia abrir os olhos todos enquanto eu a esfregava e passava minha mão naquele peito lindo e gostoso.

Foi aí que comecei a pegar nas pernas dela e abrir elas, pegando nas coxas e dando um beijos até chegar na virilha, onde eu ficava dando uma chupadinha e uma lambidinha sem tirar a calcinha.

Enquanto apertava os seios dela e dava as chupadinhas perto da Buceta, eu resolvi colocar a calcinha dela de lado e vi que ela tava toda meladinha.

Peguei forte e arreganhei mais ainda as coxas dela, e comecei a passar a língua e a minha boca naquela bucetinha lisinha e gostosa.

E chupava aquele grelinho delicioso como se tivesse chupando uma manga, passando minha língua quente e molhada, rodando e chupando todo aqueles lábios, enquanto ela gemia e se recontorcia.

Até que comecei a enfiar meu dedo bem devagar enquanto chupava todo aquele mel.

Eu passava o dedo rodando lá dentro da buceta dela, bem devagar, enquanto segurava uma coxa dela. Ela gozava muito na hora, então achei que estava na hora de eu começar a enfiar meu pau na bucetinha dela.

Meu pai que estava durasso, de ver ela escorrendo daquele jeito. Tirei minha bermuda e comecei a passar a cabecinha naquele grelo delicioso, e comecei a chupar o pescoço dela.

Sem eu começar a enfiar ainda, ela já estava com as pernas tremendo muito, e molhada que parecia um rio.

E eu passava meu pau todo na bucetinha, eu ficava brincando de mergulhar a cabecinha lá dentro, e tirar.

Até que decidi enfiar a metade, essa hora, tive que imobilizar ela, porque ela se recontocia, tremia e vibrava várias vezes. Então, fiquei encima dela bem coladinho com ela enquanto beijava sua boca.

Dessa vez enfiei meu pau pulsando e durasso dentro daquela buceta. Entrou feito manteiga, o hímen dela rompeu na hora. E eu vi que ela sentiu um pouco.

Então parei de meter mas fiquei com o pau lá dentro roçando bem gostoso.

Aí, ela começou a pedir para que eu não parasse, porque estava bom.

Então, comecei a meter em um ritmo de vagar segurando a mão dela, e sentindo aqueles biquinhos duros ralarem no meu abdômen. Comecei a ir mais rápido e ao mesmo tempo dar um cheiro no seu pescoço.

E cada vez eu metia mais rápido e forte.

Até que eu tirei meu pau com uma certa vontade de gozar, e eu vi ela se tremando toda arreganhada e arranhando minhas costas, na hora ela soltou um jatinho fraco da buceta e ficou se reconhecendo e gemendo bastante. Nessa hora não aguentei e derramei minha gala entre a coxa e o quadril dela.

Depois ficamos se beijando, ambos molhados trocando carinho um com o outro, até que fomos juntos pro chuveiro depois de um tempo e transamos mais ainda por lá.

Mas isso fica para um outro dia contando aqui.

Contos de Sexo Relacionados

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!