Novinha me deixa de pau duro

0 votes

Às vezes, as coisas boas acontecem de repente, sem que a gente planeje. Por isso é sempre bom estar aberto a tudo que nos traga boas sensações e experiências nessa vida.

Estava um dia conversando por whatsapp com uma amiga que já havia ficado outras vezes. Ela linda, corpo perfeito, 21 aninhos, mais ou menos. Ela era bem gostosa, media 1,60 de altura (mais ou menos), morena com o cabelo bem liso e olhos castanhos escuros. Tinha belas curvas, bundinha perfeita, peitinhos lindos e deliciosos. Daquelas que quando encontramos na rua fica impossível não olhar.

Nossa conversa passava por questões triviais. Estávamos em horário de trabalho. Eu em home office e ela de folga do plantão. Tudo parecia que não ia passar de uma conversa até que ela me falou que estava louca por um pedaço de bolo que havia comido há um tempo e que ficava, coincidentemente, perto de onde moro.

Tesão na novinha

Aproveitei a deixa e sugeri que poderia levar até ela. Desde que ela pagasse muito bem ao entregador. Já cheio de más intenções.

Qual não foi a minha surpresa quando ela disse que queria sim essa entrega. (agora não somente pelo bolo) estava sozinha em casa e talvez aquela poderia ser uma boa chance de dar um amassos naquela gostosa.

Como todo bom serviço de entrega, embora estivesse ocupado com questões de trabalho, em home office, pulei da cadeira e fui imediatamente atender aquela cliente tão especial.

Para ser diferenciado, além da rapidez na entrega, fiz questão de mantê-la informada do tempo e o custo da entrega: ela teria que pagar muito bem ao entregador. No caminho ela me disse que o tal entregador não iria se arrepender.

Como somos comprometidos – eu e ela – combinamos que eu iria me apresentar na portaria do condomínio em que ela mora, como um simples entregador. Nessas horas a máscara obrigatória se tornou uma aliada da nossa aventura.

Fiz todo o script da entrega: me apresentei como entregador de aplicativo e, após ser autorizado a subir, me encaminhei para o apartamento daquela maravilha de mulher.

Quando ela abriu a porta, estava maravilhosa! Usava uma camisa masculina que deixava seus seios deliciosos praticamente furando aquela blusa.

Nem sei se entreguei o tão desejado bolo. Soltei tudo no chão e fui diretamente para cima dela. Beijando aquela boca maravilhosa com todo o tesão acumulado por essa aventura. Joguei tudo para o lado e nos beijamos muito.

Imediatamente, coloquei a delicia para chupar meu pau que já estava duríssimo e ela, sem nenhuma cerimônia, pegou gostoso no meu cacete, chupando o pau que já pulsava de tanto tesão.

Em seguida, levantei aquela blusinha e mamei gostoso naqueles peitos que estavam tão duros pela aventura e baixei a calcinha dela para encontrar sua bocetinha linda e deliciosa, que estava depilada e pronta para receber uma deliciosa chupada.

O tempo era nosso inimigo e tudo não poderia passar de 5 minutos, pois uma entrega não poderia demorar tanto…

Olhei para o lado e vi a mesa da casa dela, peguei a gostosa nos braços e a coloquei deitada nela, chupando aquela boceta maravilhosa, que estava molhadíssima e deliciosa como nunca vi igual.

Após chupa-la com muito gosto, coloquei meu pau para fora e comecei a pincelar seu grelinho e ela praticamente me implorava para que eu a fizesse gozar.

Mas o tempo… ah! O tempo… Não nos permitia que fôssemos além dessa pegada bem safada… tinha de sair logo e implorei para que ela me expulsasse de casa, como qualquer entregador atrevido.

Foi que ela fez, abriu a porta e fui literalmente empurrado para o corredor, de pau duro e feliz. Saí o mais rapidamente possível do condomínio e, por sorte, não cruzei com ninguém. No fim tudo deu certo. Ninguém desconfiou daquele entregador.

Já no carro, ela me mandou uma mensagem dizendo que estava terminando sozinha o que começamos. Tive o prazer de ouvir ela gozando deliciosamente pelo áudio do aplicativo. Mas, infelizmente não poderia fazer o mesmo. Tudo ficou para uma outra oportunidade.


  • conto 7 meses atrás
  • Categorias: Pornô

Contos de Sexo Relacionados

Deixe seu comentário