A sobrinha afilhada do meu marido me fez gozar gostoso

6 votes

O conto que narrarei aqui se trata de uma aventura secreta que tive gerando vários outros desdobramentos.

O escondido me atiça e me envolve e cada dia mais essa coisa do misterioso, do secreto me fascina…

Em virtude de não poder me abrir com outra pessoa além dela, visando tirar esse peso de estar tendo algo insano fora do casamento, resolvi transformar essas aventuras em contos, assim não fico sufocada e nem ponho a carga desse relacionamento secreto na ruivinha, já que não posso falar pra nenhuma amiga que estou tendo um caso extraconjugal com uma pessoa da família do meu marido.

Contarei aqui minha primeira aventura fora do casamento e garanto a vocês que será aloprado que nunca uma esposa certinha imagina que fará um dia.

Virei amante da sobrinha do meu marido

Confesso que foi algo avassalador totalmente improvável, todavia quando duas mulheres são deixadas carentes por semanas e quando se encontram surge um clima de sedução, acompanhado de um filme contendo cenas de sedução, sensualidade, erotismo, cumplicidade… E as duas sozinhas degustando vinho, algo de bom tinha que acontecer.

Deixa eu me apresentar….  tenho 27 anos, sou casada a seis anos, antes da pandemia eu costumava viajar com mais frequência que meu marido, depois de me deixar mais de vinte e nove dias sem transar, o meu marido viajou e pra eu não ficar sozinha ele pediu que sua sobrinha-afilhada viesse me fazer companhia enquanto ele estivesse em viagem.

Ela tem 19 anos,  recentemente ficou noiva e numa sexta-feira por volta das vinte e três horas, o seu noivo à trouxe pra minha casa, ela chegou e eu estava tomando vinho, assistindo ao filme Garotas Selvagens, deu-me boa noite, abriu um largo sorriso e em seguida perguntou-me se poderia me acompanhar no vinho, ouvindo que poderia me acompanhar no vinho e filme.

Passamos a assistir juntas, lado a lado no sofá da sala, em um certo momento do filme as duas atrizes principais começam a se beijar e se tocarem aquela cena mexeu com a gente, ficamos vermelhas e envergonhadas uma olhando pra outra timidamente, então falei:

– Quer que eu mude de canal?

Ouvindo dela que:

“Não, titia pode deixar”

Continuamos assistindo ao filme e, lógico, degustando o vinho e as cenas foram ficando mais picantes, excitantes, automaticamente aguçando involuntariamente nossas curiosidades em um determinado momento toco levemente em sua coxa pedindo por gentileza buscar outra garrafa na adega.

Ao retornar ela põe o vinho em nossas taças e simultaneamente a mão esquerda dela em minha coxa, afirmando que o vinho é ótimo, no instante em que brindávamos aparece uma cena das duas atrizes se acariciando e talvez por impulso ou sugestionada pela cena ela passa a acarinhar minha coxa e a retribuo apalpando as suas.

Automaticamente veio o primeiro desejo acompanhado de um selinho e cada gole de vinho que desfrutávamos aumentavam nossas carícias e os selinhos se tornavam cada vez mais frequentes.

A ponto de não aguentarmos mais e nos dirigirmos ao quarto, onde uma começou a tirar a roupa da outra, antes de jogá-la na cama ponho um longo gole de vinho na boca e a faço saborear o vinho em minha língua na boca, nisso ela “tasca” uma tapa em minha bunda que me deixou “arrepiada”.

Ao perceber tamanho entusiasmo de minha parte, ela ordena que eu ficasse quieta e lentamente foi abaixando a minha calcinha.

Nesse exato momento sorrio pra ela e digo:

– Que safada é essa sobrinha afilhada do meu marido. (Risos)

Sorrindo ela fala:

“Hoje, sou mais sua sobrinha do que dele, pois ele nunca me teve e nem terá como você estar me tendo. Somos agora confidentes, cúmplices e amantes”.

Ao ouvir aquilo, desejei ainda mais a sobrinha afilhada do meu marido dando-lhe um abraço, ela subitamente falou:
“Eu mandei você ficar quieta… Titia delícia”.

E por cima da calcinha ela começou a esfregar a minha bucetinha e rapidamente os dedos dela ficam bem meladinhos e ao sentir eles meladinhos a “safada” põe os dedos que continham o meu sabor em sua boca se aproximando do meu ouvido diz:

“Estou amando ter uma madrinha puta e vou amar mais ainda quando ela me fizer de putinha dela, escondida do meu noivo e do meu tio, marido dela”.

Aquela frase que sussurrava em meu ouvido, ao mesmo tempo em que apalpava a minha bunda deixava-me ainda excitada e insanamente mulher.

Permanecia imóvel em minha cama vendo vagarosamente a sobrinha afilhada do meu marido sem pressa alguma, cair de boca em câmara-lenta na minha bucetinha com seus dedos junto com sua língua, eu tremia de volúpia entregando-me totalmente a ela.

Gozei prazerosamente em sua boca talvez um dos maiores orgasmos que eu tenha tido depois de ter todo o meu sêmen em sua boca ela foi subindo em cima de mim como os bicos dos nossos seios se encontrando aquilo me deixava extremante arrepiada com um libido alucinado trazendo a minha boca um pouco do meu orgasmo, dizendo em seguida:

“Eu agora sou sua sobrinha afilhada e putinha escondida do meu noivo e do meu tio, agora vem degustar o teu sabor em minha boca titia”.

Falando logo em seguida:

“Quero gozar com você todos os dias que meu noivo ou meu tio nos deixarem carentes e quero que me faça gozar, delirar de prazer, fazendo com que eu sinta que a partir de hoje, será minha dona”.

Ao ouvir esta fala alucinante resolvi retribuí-la, deitando-a de bruços colocando os meus pés nos seus ombros. Fui abrindo suas coxas com minha cabeça e comecei a descer minha língua por sua bundinha, passando pelo seu rabinho, até chegar em sua bucetinha ela uivava meu nome de tesão se dizendo ser “minha puta secreta”…
E aquele uivo e palavras em meus ouvidos me fez gozar de novo e senti o sabor dela na minha boca.

Meu marido passou quatro dias fora e em todos esses dias que ele ficou ausente nos divertimos prazerosamente, tiramos todas as nossas carências…

Contos de Sexo Relacionados

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!